Artigos

Universidade da Região Oeste: o todo maior que a soma das partes

Compartilhe:

Com a realização de um Ato Público pró-universidade federal no dia 8 de maio, no Teatro Municipal, a cidade de Osasco, iniciou uma importante caminhada rumo ao futuro. Marcando a importância da conquista que se avizinha, além do Ministro da Educação, Fernando Haddad, e do Prefeito Emidio de Souza, o evento contou com a presença do senador Aloísio Mercadante, dos deputados federais João Paulo Cunha, Luis Eduardo Greenhalgh e Jorge Murad, prefeitos da região, vereadores, lideranças e representantes profissionais, empresariais e sindicais. A Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Osasco e Região também se fez presente.

A instalação de uma Universidade Federal em Osasco, fruto do esforço do prefeito Emidio de Souza e do Deputado Federal João Paulo Cunha, com o apoio de outros prefeitos da região, representa um impulso significativo ao desenvolvimento regional. É um feito de potencialidades gestálticas, muito maiores do que o por si só expressivo salto no número de vagas para cursos superiores que a região deverá experimentar.

Do ponto de vista social, a medida cria todo um novo horizonte para os jovens da Região Oeste. Lembro-me até hoje de quão custosa foi minha própria vivência universitária: como milhões de jovens ainda hoje precisam fazer, há 35 anos, durante meu curso de arquitetura, eu perdia quase quatro horas entre o ir e vir à universidade, vítima que também fui das condições que até hoje os estudantes enfrentam: vagas limitadíssimas nas universidades públicas, cursos em período integral incompatíveis com a realidade de quem mora longe e ainda a necessidade de trabalhar para sustentar os estudos e a família, entre outros fatores desfavoráveis.

Mas a Universidade Federal da Região Oeste estará ao alcance direto e rápido de mais de 15 municípios, numa localização estratégica proporcionada pela convergência das rodovias Castelo Branco, Regis Bittencourt e Raposo Tavares, todas interligadas pelo Rodoanel. Isso significa não apenas facilidade de acesso para os universitários, mas também incentivo à construção de um quadro docente e técnico do mais alto padrão.

Há também que se ressaltar – e, como profissional da tecnologia, considero aqui outro importante avanço a se comemorar – o potencial fomentador de um novo pólo tecnológico que a melhoria representará para a região. Por um lado, incrementam-se as oportunidades e possibilidades de pesquisa acadêmica nas mais diversas áreas do conhecimento. Por outro, indiretamente, a instalação de uma universidade federal seguramente terá um profundo impacto no nível educacional da região, influenciando para melhor o desempenho, os investimentos e a preocupação com a qualidade nas faculdades particulares, que tiveram um crescimento exponencial nos últimos anos.

Toda a estrutura empresarial da região também poderá se beneficiar. Não apenas pelo aspecto imediatista representado pelos investimentos e oportunidades de negócios que se abrem diante de uma nova e importante obra desta envergadura. Mas no médio e longo prazos, também pelo oferecimento de profissionais mais capacitados e qualificados para suprir as necessidades do mercado de trabalho da região. Sob esta ótica, não é difícil imaginar os futuros profissionais da nova universidade ajudando nossa cidade e região a descobrirem e consolidarem suas verdadeiras vocações econômicas, acelerando o desenvolvimento econômico, social e urbano, e trazendo mais qualidade de vida à população.

 

Pietro Mignozzetti é Arquiteto, especializado em Urbanismo, e Presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Osasco (AEAO).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *